HEIDI KLUM

A top model e apresentadora alemã mostra, em fotos sensuais, por que é a eterna angel

 

 

ELA CHEGOU A PENSAR que seu tipo era “normal demais” para se tornar uma top model. Afinal, ela era uma loiraça estonteante, com um rosto perfeito e curvas pelo corpo – quase um defeito numa época em que a beleza era ditada por modelos de silhueta reta e olhar tristonho. Mas, felizmente, Heidi Klum estava errada. Seu estilo mulherão, pele bronzeada e olhar matador, acabou consagrado. Hoje, aos 38 anos, essa alemã de sotaque inglês nem de longe lembra aquela jovem insegura com o próprio corpo e com a profissão. E nem precisa: além de continuar linda, Heidi soube como poucas explorar a carreira de modelo sem perder a pose. É também empresária, apresentadora de tevê e atriz nas horas vagas. E tudo isso mantendo o posto de segunda modelo mais bem paga do mundo, atrás apenas de Gisele Bündchen.

O salto veio mesmo em 1996, aos 23 anos, com um convite para ingressar no hall de modelos da Victoria’s Secret. Heidi ganhou asas. Durante 13 anos ela foi uma das angels do tradicional desfile da grife de lingerie americana. Sua aparição era sempre aguardada com ansiedade. Como em 2005, quando ela encerrou o desfile como uma verdadeira rainha sexy, de lingerie vermelha adornada de diamantes. Apesar do sucesso, a alemã não frequentou muito as passarelas. Inclusive, há quem torça o nariz para a loira por ela nunca ter desfilado para nomes como Versace e Dolce & Gabbana. E quem se importa? Suas curvas já dizem tudo.

Acostumada aos editoriais de moda, a loira também já sentiu o gosto das colunas de fofoca. Em 2003, numa derrapada, Heidi acabou caindo na lábia de Flávio Briatore, ex-cartola da Fórmula 1, com quem teve um romance até ele aparecer em público beijando outras mulheres. O empresário, inclusive, se negou a reconhecer a filha que tiveram juntos. Mas Heidi também nunca fez questão. Hoje é casada com o cantor inglês Seal, com quem teve outros três filhos. Como ela costuma dizer aos participantes do reality show Project Runway, sobre o mundo da moda: “One day you’re in, one day you’re out” (num dia você está dentro, no outro está fora). Mas, pensando em Heidi, o bom mesmo é poder estar “in” todos os dias.