JORGE BEN JOR

Nos últimos 40 anos, ele transitou pela MPB, samba e black music, além de ter suas canções gravadas por gigantes do cenário nacional e internacional como Ella Fitzgerald, Dizzie Gillespie, Marisa Monte e Mano Brown

 

Ele não sabia tocar violão tão bem quanto seu ídolo João Gilberto – aprendeu apenas com um “método” desses que se adquire em qualquer banca de revistas. Para não ficar por baixo, o carioca da Tijuca inventou um complexo e próprio modo de tocar, criando uma batida de violão absolutamente contagiante, percussiva, cheia de suingue e 100% nova para o samba, porém com um viés mais cool.Jorge Menezes, conhecido no mundo inteiro como Jorge Ben Jor, foi citado no discurso do presidente americano Barack Obama, quando este veio ao Brasil, no ano passado, e disse que somos “um país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza”. Respeitado e acolhido com respeito por todos os artistas, em todos os movimentos musicais, e tocado em nove entre dez festinhas, Jorge procurou suas musas inspiradoras nas meninas do subúrbio. Mulatas, negras, morenas e louras de nomes como Domingas, Bebete, Berenice e Aparecida foram malandramente eternizadas em suas músicas.