NAS FRONTEIRAS DA LINGUAGEM

Lenora de Barros é uma dessas artistas de difícil definição, com uma obra que transita entre as artes plásticas e a poesia. Talvez por isso ela prefira ser chamada de artista visual – o que faz todo o sentido, considerando o forte peso das imagens em quase tudo que faz

 

Por Fabrícia Peixoto

 

     

      

      

Pois grande parte de seu trabalho pode agora ser conferida no recém-lançado Relivro (com direção de arte de Renata Zincone, da equipe de Status), incluindo os consagrados Poema (1979) e Procuro-me (2001). Aos 58 anos e 25 de carreira, a artista falou à Status:

Status Você vê o Relivro como uma espécie de coletânea definitiva de suas obras?
Lenora de Barros O livro reúne boa parte de minha trajetória, mas está longe de ser uma coletânea definitiva. Relivro foi realizado a partir da mostra Revídeo, que montei em 2008, no espaço Oi Futuro Flamengo, no Rio, e adaptado para ser um projeto que transcendesse aquela exposição e que pudesse ser curtido por si só.

Status E quais são os planos para 2012?
Lenora de Barros O ano passado foi muito intenso. Participei da 11a Bienal de Lyon, na França, fiz duas exposições individuais… A mais recente, Sonoplastia, aconteceu no fim do ano passado na Galeria Millan, onde desenvolvi uma instalação sonora. O universo da sonoridade e performance vocal tem me interessado muito e estou pensando em alguns projetos nessa direção.

 

Efeito mola


Com estrutura de aço e desenho bem pouco convencional, a cadeira Zigo, do designer israelense Ron Arad, proporciona uma leve sensação de mola ao sentar. Suas linhas finas e o revestimento em fibra natural fazem da peça uma boa opção para ambientes arejados, como varandas e jardins. No Brasil, a cadeira pode ser encontrada na Collectania.
Preço: R$ 6.426
www.collectania.com.br

 

Gibi na parede

  
Vejam o que a paixão pelos quadrinhos é capaz de fazer. O técnico em audio Mike Alcantara, de Austin (Texas), buscava uma forma de admirar por mais tempo seus personagens favoritos. Foi então que teve a ideia de criar pôsteres para
as paredes da casa, a partir do corte e cola de seus gibis. O resultado agradou tanto aos amigos que Mike resolveu vendê-los via internet – e graças ao boca a boca virtual, o técnico fez fama: seus painéis chegam a custar US$ 400.
www.etsy.com/shop/Comiccollageart

 

Não é brinquedo

      
Feita em madeira e vidro, a cabana Fincube pode ser desmontada e montada em outro local, sem grandes mistérios. Além da praticidade, os designers do estúdio Aisslinger, da Alemanha, pensaram sobretudo no baixo impacto ecológico do projeto: graças a uma base de 2 m2, a estrutura não causa tanto estrago no solo. Já a cabana tem 47 m2 e vem completa. Ela possui sala de estar, quarto, banheiro, cozinha e um corredor externo que funciona como varanda.
www.aisslinger.de

 

Torres gêmeas


A belíssima estante Twin não saiu da imaginação de um arquiteto ou designer – mas sim de uma equação de computador do escritório de criação gt2P, do Chile. O móvel é desenvolvido por uma complexa fórmula matemática, que define não apenas o formato das curvas, mas também a quantidade de subdivisões, seguindo as especificidades de espaço de cada ambiente. Feita em MDF laqueado, a estante tem duas partes idênticas, que podem ser usadas juntas ou separadamente.
Preço sob consulta.
www.gt2p.com