TODOS OS FILMES DE PRESIDENTE

O ator Tom Hanks irá produzir um longametragem (Parkland) sobre o assassinato do presidente John F. Kennedy, morto com um tiro dado pelo ex-fuzileiro naval Lee Harvey Oswald, em 22 de novembro de 1963, em Dallas, Texas

 

Por Tom Cardoso

 

Se a moda pegar por aqui, os cineastas brasileiros não poderão se queixar da falta de boas histórias. Ninguém dúvida que o suicídio de Getúlio Vargas e a morte de dois outros importantes presidentes – Juscelino Kubitschek e João Goulart –, ambas cercadas de mistérios, dariam bons filmes.

 

A voz, o filme

O cineasta Martin Scorsese é fã de Rolling Stones, Bob Dylan e de… Frank Sinatra! Sorte de todos eles. Os dois primeiros já ganharam cinebiografias dirigidas pelo diretor de Taxi driver e Sinatra, “A Voz”, será o próximo homenageado. O ator Leonardo DiCaprio está praticamente certo para interpretar o cantor de My way. Scorsese promete não deixar nada de fora, nem mesmo o envolvimento de Sinatra com a máfia. Imperdível.

 

Ping Roberto Santucci

    

As comédias de costume viraram o grande filão do cinema nacional. E aí…. comeu?, do cineasta Felipe Joffily, ultrapassou recentemente a marca dos dois milhões de espectadores. Agora chegou a vez de Até que a sorte nos separe (estreia no início de outubro), comédia dirigida por Roberto Santucci que narra a história de um pai de família que tem a rotina transformada ao ganhar na loteria. Santucci conversou com a coluna.

Afinal, dinheiro traz felicidade?
Não, eu acho que não. Pode ajudar, mas pode atrapalhar muito também. Acho que tem muitos casos em que o dinheiro causa a infelicidade. Acho que essa é uma discussão pertinente para o momento do Brasil. O dinheiro está aparecendo mais na vida das pessoas em todos os níveis.

O diretor Breno Silveira engrossou as críticas do Claudio Assis, que acusa o cinema nacional de exagerar no lançamento de comédias para fazer bilheteria. O que acha das críticas?
Acho que o cinema nacional quer ver bons filmes. Cito aí o exemplo de 2 filhos de Francisco, do próprio Breno, que fez cinco milhões de espectadores. Quando um gênero faz sucesso, como o cinema favela ou o filme espírita, as pessoas costumam achar que existe uma fórmula fácil de fazer sucesso. Eu discordo disso. Fazer um bom filme está muito longe de “esse gênero aqui é que dá certo”. Eu não acredito nisso, não. Acho uma resposta muito simplista. O cinema nacional não procura uma coisa ou outra. O público quer é cinema bom, benfeito.

 

Dvd
Reidy – A Construção da Utopia

Nascido em Paris, mas radicado no Rio de Janeiro durante toda a sua vida, Affonso Reidy (1909-1964) é considerado o pioneiro da arquitetura moderna no Brasil. A cidade, sede da próxima Olimpíada, deve parte de sua beleza ao arquiteto. Reidy está para o Rio assim como Oscar Niemeyer está para Brasília. Esse documentário, dirigido por Ana Maria Magalhães, apresenta os projetos arquitetônicos feitos por ele. Não é pouco: Aterro, Parque do Flamengo e Museu de Arte Moderna. É possível imaginar o Rio sem o Aterro?

 

Tropa de elite paulista

O jornalista Caco Barcellos negocia a vendas dos direitos autorais de um de seus livros de maior sucesso, “Rota 66 – A História da Polícia que Mata” para o cinema. A RT Features, de Rodrigo Teixeira, produtora de filmes como O cheiro do ralo, O casamento de Romeu e Julieta e Heleno, sonha em repetir com o livro-reportagem de Caco o sucesso alcançado por José Padilha ao adaptar o livro Elite da Tropa (de Luiz Eduardo Soares, André Batista e Rodrigo Pimentel) para a telona.