A REALEZA ESTÁ NUA

Era uma vez uma duquesa de topless, um príncipe pelado, uma rainha malvada… Os tabloides ingleses adoram uma novelinha. E os personagens, no caso, têm ajudado bastante

 

Por Monica Iozzi

 

O cidadão se programa com meses de antecedência: compra ingresso, passagem de avião, faz reserva no hotel. Três meses depois lá está ele com seu bonezinho da Ferrari, torcendo e fritando na arquibancada.

O brasileiro venceu, ótimo! Mas o melhor mesmo foi ver o alemão errar, se estabacar no muro e sair correndo do carro já em chamas.

Sim, o tropeço faz parte do espetáculo. Muitas vezes é por ele que mais aguardamos ou até mesmo torcemos. Veja a sabedoria dos paparazzi. Nenhum deles fica satisfeito ao ver sua celebridade-alvo sair da festa feliz, sã e tranquila. Sabem que o que vende mais é o estrago! E parece que é isso mesmo. Quanto pior, melhor (e maior também). Imagens assim são divulgadas à exaustão e mundialmente. São como um vírus que se propaga pelo ar. Todo ser humano que tem acesso à internet já viu Paris Hilton sem calcinha ou Lindsay Lohan bêbada.

O caçula da família real inglesa, por exemplo.

Se não fosse por seu comportamento dito “desregrado”, a maioria de nós nem se lembraria da existência do pobre. Harry assumiu que fumava maconha, foi fotografado bêbado, usou uma fantasia de nazista e ficou pelado numa festa em Las Vegas. Mas a indústria britânica da fofoca vai além. Ela não nos apresenta apenas as peripécias do caçula excêntrico. Ainda temos a avó malvada, a nora morta, o filho banana, a amante, o herdeiro, a plebeia… Parece que o povo britânico encara a vida da família real como uma novela. E, inspirado em fatos reais ou não, o roteiro fica por conta dos tabloides.

O último escândalo da realeza foi o flagra do topless de Kate Middleton, esposa do príncipe William. Os dois estavam numa nova lua de mel e a princesa foi fotografada seminua. As fotos foram vendidas, rodaram o mundo, ganhou-se muito dinheiro; mas os tabloides já fizeram melhor, poxa! Em 1992, foi divulgada uma gravação telefônica do príncipe Charles para Camila Parker Bowles. Na conversa, ele diz que gostaria de reencarnar como o absorvente íntimo dela. Isso sim é escândalo!

O príncipe traindo a princesa Diana e ainda por cima com tamanho bom gosto.

Enfim, infelizmente parece que a invasão de privacidade vem se tornando um negócio cada vez mais lucrativo. E, como eu já havia dito, o tropeço faz parte do espetáculo. Mas existe uma grande diferença entre cair e derrubar, não?