AS ESTRELAS DO ELBULLI

O restaurante catalão fechou em 2011, mas você ainda pode ter um pedacinho dele. Ou melhor, de sua adega, que será leiloada pela Sotheby’s em abril

 

Por Danielle Sanches

 

 

Quem frequentou enquanto o restaurante funcionava, pode encher a boca e dizer que esteve lá. Quem não conseguiu sentar em uma das concorridíssimas mesas do catalão El Bulli, comandado pelo celebrado chef Ferran Adrià, tem de se conformar. Já era. Há, porém, como ter um pedacinho de um dos mais famosos restaurantes do mundo. É que a americana Sotheby’s está organizando dois leilões para liquidar com a adega do El Bulli, uma preciosa coleção de 8.807 garrafas com valor estimado entre US$ 1,1 milhão e US$ 1,6 milhão. A primeira venda acontecerá em Nova York, em 3 de abril, e a segunda, em Hong Kong, no dia 26 de abril. “Não temos dúvida de que estes são os leilões mais importantes do mundo para os fãs da boa comida e bebida”, diz à Status Duncan Stirling, diretor de leilões de vinho da Sotheby’s em Nova York.

Montada pelo sommelier Juli Soler ao longo dos últimos 30 anos, a adega conta com algumas das safras mais raras de tradicionais regiões produtoras como Bordeaux, Borgonha, Rhône e, é claro, os mais premiados tintos da Espanha. Entre os lotes mais cobiçados estão 100 garrafas de Vega Sicilia Unico de safras que vão de 1987 a 1996; caixas de garrafas magnuns de Château Latour 2005; exemplares vintages de La Tache e outros de Romanée-Conti safra 1990; e também 28 garrafas de Montrachet de variados anos, partindo de 1987, passando por 1991 e terminando em 2004. Outros lotes, como alguns de Bordeaux, valem mais pelo rótulo que trazem estampado o nome do El Bulli, aumentando assim o valor para os colecionadores. O dinheiro arrecadado, diz Ferran Adrià, será usado na elBulliFoundation, um centro comandado pelo chef para a pesquisa e desenvolvimento de novas e criativas técnicas gastronômicas. Um brinde a ele!