QUASE SEM QUERER

Conhecimentos técnicos fazem parte da rotina de qualquer grande fotógrafo. Mas, quando esses fatores ganham o reforço da sorte, aí o resultado tem tudo para ficar espetacular

 

É o caso desta imagem, capturada na praia de Jabaquara, em Ilhabela, litoral paulista. “Eu estava em busca de um ponto para fotografar, quando dei de cara com uma tenda, sem ninguém. Parecia abandonada”, conta o fotógrafo paulistano Edu Fuica. O cenário improvável, com a praia emoldurada por cortinas, rendeu um belíssimo ensaio de Darliane Mattos (que posou assim, nua, para dar as fotos de presente a um namorado sortudo). “Quando o assunto é mulher, gosto de trabalhar com uma luz suave, que valoriza a feminilidade”, diz ele. Formado em sistemas da informação, o paulistano de 28 anos foi parar na fotografia “quase sem querer”, depois de ganhar uma câmera como pagamento por um trabalho. Criou gosto pela coisa e hoje tem um portfólio variado, com trabalhos para publicidade e revistas, incluindo fotos sensuais. “Na fotografia, não basta ter uma boa luz. É preciso que essa luz converse com a proposta”, diz Fuica.