ELITE DO ASFALTO

Status testou duas das motos sem carenagem que se transformaram em objeto de desejo dos fãs da velocidade. Confira o desempenho dessas nakeds que rodam pelas pistas do Brasil

 

Por Piti Vieira

 

 

BMW F800R

Apesar de não ter mudado muito desde seu lançamento, em 2009, essa BMW mantém visual agressivo e moderno. Com a nova combinação de cores (prata e vermelha, prata e branca) a F800R é uma moto leve e fácil de pilotar, com bom desempenho e o status do emblema azul e branco da conceituada fabricante alemã. Excelente para utilização urbana, tem boa posição de pilotagem, o banco é macio e permite longas jornadas. As características mais marcantes são as respostas rápidas ao acelerador e o excelente torque em qualquer faixa de rotação, que elevam a adrenalina do piloto, principalmente em pistas sinuosas.


O quadro de instrumentos, bem arrojado, vem com computador de bordo e mostrador da marcha em uso.

A direção com amortecimento garante maior segurança na tocada, caso apareça alguma imperfeição no meio do traçado.

O tanque de combustível fica sob o banco e não na frente, onde fica a caixa de ar.

O ronco do escapamento é grave, vibrante, daqueles que a gente gosta de ouvir em alto e bom som.

Outra característica que transmite confiança são os potentes freios com discos Brembo e sistema ABS.

 

 

TRIUMPH SPEED TRIPLE

A Speed Triple, da marca britânica Triumph, marcou época quando apareceu nas telas do cinema, pilotada por Tom Cruise no filme “Missão Impossível 2”. Com visual diferenciado, com os dois faróis angulosos saltados, basta girar o acelerador com vontade para sentir aquele puxão no corpo. A posição de pilotagem é quase esportiva, não fosse pelo largo guidão de alumínio, deixando-a ideal para uma estrada sinuosa ou para serpentear entre os carros em uma avenida movimentada. Não é uma moto para longas viagens. Disponível nas cores branca, preta e vermelha.


Com seu ronco abafado, o motor sobe rápido de giro até o corte eletrônico da injeção, que acontece em 10.500 rpm.

Pedaleiras recuadas deixam o motociclista em posição para atacar curvas fechadas sem medo de se divertir.

O manete da embreagem é a cabo e mais duro de acionar que os sistemas hidráulicos. Pelo menos ele traz ajuste de distância, assim como o manete do freio.

O visual é marcado pelo par de potentes faróis em forma de trapézio.