NÃO DÁ PARA ENJOAR

Uma semana de festa, com direito a sol, mar, música de boa qualidade, ilhas paradisíacas e mulheres de topless. Sim, isso tudo existe e atende pelo nome de Yacht Week

 

Por Fabrícia Peixoto

 

O clima começa a esquentar já na marina de Split, cidade histórica de frente para o Mar Adriático, no sul da Croácia. Os bares e restaurantes do local vão enchendo na medida em que gente do mundo inteiro, sobretudo jovens na faixa dos 20 aos 30 anos, aguarda para entrar nos barcos. Em breve, todos eles (cerca de 600 pessoas, no total) estarão a bordo de seus respectivos iates, dando início a uma semana intensa, com festas, sol, mar e muita, muita mulher bonita. Estamos falando da Yacht Week, evento criado em 2006 pelos suecos William Wenkel e Erick Biörklund e que hoje inclui, além da Croácia, roteiros pela Itália, Grécia e Caribe. Basicamente, a ideia é velejar durante o dia e encarar as pistas de dança organizadas pela própria Yacht Week à noite. O cenário das baladas varia de uma tenda improvisada nas areias de uma ilha paradisíaca até um club bacana da região. DJs convidados se revezam no som ao lado de residentes, como o francês Pierre Souriau, que capricham no som eletrônico, especialmente no house tradicional e no soulful house. Uma das noites, porém, é dedicada à balada dos barcos, quando todos os iates são presos uns aos outros (foto acima), formando uma verdadeira festa comunitária. Não se assuste, portanto, se uma gata estonteante de pele bronzeada aparecer de repente em seu convés, sem ser anunciada.

 

Lugar no barco

O tamanho dos barcos varia, mas a maioria comporta de oito a dez pessoas, além do marinheiro. Muitos participantes preferem viajar em grupos e, assim, conseguem fechar um barco inteiro para ficar somente entre amigos. Se você pretende viajar sozinho, é possível fazer a reserva e deixar que a própria organização do evento te encaixe em um dos iates. Outra forma é buscar vagas em barcos já fechados, por meio de anúncios em fóruns virtuais, como no Facebook. Um lugar no iate custa a partir de 500 euros por pessoa, pelos sete dias (o valor não inclui bebidas nem alimentação). O marinheiro também é pago à parte (a partir de 600 euros por barco).

    

 

Balada todo dia

    

Se alguém quiser dormir ou passear pela praia, não há problema, mas certamente perderá o melhor da festa. Ao custo de 50 euros por pessoa, a Yacht Week oferece uma pulseira que dá direito às seis baladas organizadas pela casa, com som rolando até a madrugada. É, sem dúvida, o momento mais oportuno para se aproximar daquela sueca estonteante que você viu mais cedo tomando um bronze no iate ao lado.

 

Ordem na bagunça

    

Os participantes são responsáveis por manter os barcos com um mínimo de organização e limpeza, mas nada que torne a viagem um martírio. E como o evento não fornece alimentação, a tarefa também fica por conta dos grupos. Cada um dos barcos tem cozinha, um pequeno fogão e geladeira, o suficiente para preparar o café da manhã e refeições mais simples. Mas se a ideia é deixar o fogão a cargo de outra pessoa, pode-se contratar uma hostess (geralmente universitárias fazendo bico no verão europeu), ao custo inicial de 600 euros.

 

Terra firme

O conceito da Yacht Week é de que cada barco tenha autonomia para fazer o roteiro no ritmo que desejar. Ou seja, se o grupo preferir ficar ancorado e aproveitar para conhecer alguma ilha ou cidade local, sem problemas, desde que a ideia seja negociada com o marinheiro. Muitos participantes, inclusive, aproveitam esses momentos em terra para reabastecer a geladeira do iate com bebidas e suprimentos ou até mesmo para conhecer algum restaurante bacana na região. É bom lembrar, porém, que todos os barcos precisam cumprir o cronograma do evento.

 

AGENDA
São cinco rotas diferentes, incluindo Caribe (Ilhas Virgens Britânicas), Itália, Grécia e Croácia (nesta, duas rotas). No circuito europeu, os eventos ocorrem semanalmente, de julho a agosto, enquanto no Caribe a Yacht Week acontece da semana do Reveillon até o final do mês de março. www.yachtweek.com