SEM HORA PARA ACABAR

Nem café da manhã nem almoço. O brunch é a mistura dos dois e a refeição ideal para quem acorda tarde no fim de semana e gosta de reunir amigos ao redor de uma MESA FARTA.

 

por Bruno Weis

 

Tradição britânica e muito popular nos Estados Unidos, o brunch – o café da manhã (breakfast) integrado ao almoço (lunch) – ainda é pouco conhecido no Brasil. Mas isso vem mudando, com restaurantes oferecendo esse tipo de refeição, especialmente nos fins de semana, com capricho e criatividade, provando que poucas mesas podem ser tão divertidas quanto as de um brunch. Com a chegada da primavera, não faltam motivos para você montar seu próprio banquete de desjejum e convidar os amigos para um desfrute coletivo, sem hora para acabar.

 

Domingo à mesa

A rua dos Pinheiros, em São Paulo, concentra dezenas de restaurantes. Um dos mais novos deles, o Pic Nic Gastronomia, é o único que aposta mais na primeira refeição do dia do que no almoço e no jantar. Seu brunch (R$ 53), oferecido aos domingos até às 16h, é abundante. Salada de fruta, pães caseiros, tortas recheadas, cheesecakes (foto ao lado), waffles e o delicioso sanduíche croque monsieur fazem parte do show. A “Pink Limonade” (foto ao lado) é o drinque criado pela chef Julia Pimenta. Chás, sucos e café também estão inclusos no brunch, e você ainda pode pedir espumante ou clericot à parte. www.picnicgastronomia.com.br

 

Estrela da estação

Um dos melhores hotéis de São Paulo, o cinco- estrelas Emiliano também é famoso por seu espetacular brunch (fotos acima). Servido aos sábados e domingos, a refeição (R$ 135) oferece produtos e ingredientes da estação, pães artesanais (servidos sempre quentinhos), ovos do jeito que você quiser, rabanadas e panquecas, além de frios, queijos, sucos, frutas e champanhe. E há sempre a chance de você se deparar com Gisele Bündchen ou outros hóspedes estelares na mesa ao lado. www.emiliano.com.br

 

Leveza nutritiva

A banqueteira Neka Menna Barreto produz uma média de cinco brunchs mensais, para eventos tanto pessoais como corporativos. “Acho interessante propor receitas leves e nutritivas, para não começarmos o dia nos enchendo de comida”, diz ela. Smoothies, bolo de mandioca com queijo, focaccias, mix de castanhas apimentadas, muitas frutas (foto abaixo) e pequenos sanduíches estão entre as especialidades da cozinheira, além das verrines, que são sobremesas servidas em copinhos (foto abaixo). www.neka.com.br

 

Pegada saudável

Os fanáticos por comida saudável podem comemorar. A Frutaria São Paulo abriu nova unidade nos Jardins no mês passado e, assim como a casa original na Vila Nova Conceição, segue apostando em pratos coloridos e leves. O brunch (acima)é daqueles de salivar: sucos para desintoxicação (e fortalecimento do organismo), ovos beneditinos, cogumelos, sanduíches e vitaminas caprichadas, em combinações de preços variados. A casa ainda oferece uma banca de frutas bem colorida. www.frutariasaopaulo.com.br

 

 

Entre museus

Um dos restaurantes mais bem localizados de São Paulo, entre o Museu Brasileiro de Escultura (Mube) e o Museu da Imagem e do Som (MIS), nos Jardins, o Chez MIS é outra ótima pedida para brunchs aos sábados e domingos. Sob os auspícios do chef Léo Botto, a refeição (R$ 38) inclui cesta de pães, suco, bebida quente, manteiga, requeijão e geleia de fruta. No buffet, tortas doces e salgadas, bolos, frutas e frios. Botto recomenda ainda as bruschettas e tortas da casa para completar o banquete. www.chezmis.com.br