ELE CONTINUA LINDO

Símbolo do Réveillon no Brasil, o Rio de Janeiro oferece muito mais do que a queima de fogos em Copacabana. Selecionamos algumas dicas fora dos programas de turista para quem pretende passar a virada do ano entre os cariocas.

 

Por Fabrícia Peixoto

 

Do quarto coletivo ao exclusivo

Hospedagem bastante comum nas principais capitais do mundo, os albergues dificilmente eram apontados como uma boa opção no Rio, mas esse cenário está mudando. A cidade tem recebido uma nova leva de hostels, a maioria com mobiliário moderno.

É o caso do Contemporâneo , em Botafogo, com beliches descolados e paredes repletas de trabalhos de artistas locais (a partir de R$ 55 em quarto coletivo). No segmento de luxo, o destaque fica por conta de hotéis intimistas. www.contemporaneohostel.com

O TuaKaza , por exemplo, tem apenas seis suítes e conta até com cachoeira privativa, tudo de frente para o mar, em São Conrado (a partir de R$ 1.050 o casal). www.tuakaza.com

 

Outra pedida no bairro é o hotel-butique La Suite. Além de diversos mimos, como iPod em todos os quartos, os hóspedes podem aproveitar o calor carioca em uma piscina de borda infinita, com uma belíssima vista do Pão de Açúcar (a partir de R$ 800 o casal). www.lasuiterio.com

No hotel-butique La Suite, os hóspedes podem beber no bar da piscina de borda infinita, diante de uma das mais belas vistas da cidade

Para beber e petiscar também

Frequentados por clientes de chinelo e raramente com manobristas na porta, os bares do Rio de Janeiro mantêm-se despretensiosos e originais. Muitos, inclusive, são considerados patrimônios da cidade.

Bar Luiz
É o caso do Bar Luiz, no centro, inaugurado em 1927 e conhecido por ter um dos chopes mais bem tirados da capital. Bar Luiz: (21) 2262-6900
Adega Pérola
No quesito quitutes, a Adega Pérola, em Copacabana, é um lugar único, com uma vitrine de frutos do mar, queijos e embutidos que coloca suas mesas entre as mais disputadas do Rio. Adega Pérola: (21) 2255-9425 

Bar Urca

Já no Bar Urca a fila para sentar não é problema: basta pegar a cerveja, copos e bolinhos de bacalhau e acomodar-se no famoso murinho de frente para a Baía de Guanabara. Bar Urca: (21) 2295-8744

Prato cheio

Localizado no alto do novíssimo Museu de Arte do Rio (MAR), o Restaurante Mauá reúne duas características essenciais para quem está de visita no Rio de Janeiro: ótima comida e vista espetacular. A cargo do chef Marcones Deus, o menu traz elementos da cozinha brasileira com combinações interessantes, como o camarão em crosta de tapioca, mas também mantém opções tradicionais, como o peixe em vinagrete. Restaurante Mauá: (21) 3031-2819  

Quando o assunto é comida boa, farta e barata, o Bar do David, no morro do Chapéu Mangueira, no Leme, é o destino ideal. Aos sábados e domingos, a feijoada completa é a atração principal. Bar do David: (21) 7808-2200

Feijoada do David um bom motivo para subir o morro

 

Curtindo o cenário

Beber e dançar rodeado por gente bonita é sempre bom, mas se isso tudo vier acompanhado de uma vista incrível do Rio de Janeiro, melhor ainda.

The Maze 

Uma boa opção é o The Maze, no morro de Tavares Bastos, no bairro do Catete, que além de funcionar como albergue abre suas portas para animadas sessões de jazz e shows de rock em um terraço de frente para a Baía de Guanabara.

Alto Vidigal

Já os fãs de música eletrônica vão gostar das festas oferecidas pelo albergue Alto Vidigal , de onde é possível admirar as praias de Ipanema e Leblon em um espaço com capacidade para até 600 pessoas. www.altovidigal.com

A pacificação das favelas fez pipocar na cidade diversas festas no alto dos morros, como essa, no albergue Alto Vidigal

Na parte baixa da cidade, a sugestão é o Bar do Lado. Com música lounge e petiscos caprichados, a casa fica no térreo do Hotel Marina, de frente para a praia do Leblon. Bar do Lado: (21) 2172-1100 www.jazzrio.com

 

O melhor da night

Nem só de sol e praia é feita a diversão no Rio. Aqui, três estilos de festa para você curtir a noite carioca.

Miroir

Impossível falar de balada (ou melhor, night, como os cariocas preferem) no Rio sem mencionar a Miroir. A boate funciona em um casarão de dois andares na Lagoa Rodrigo de Freitas e faz o estilo cabaré de luxo, com capacidade para poucas pessoas (cerca de 450) e disputados espaços VIP. Nas pickups, muita música eletrônica.

Viaduto Madureira

No extremo oposto, o baile charme de Madureira é daqueles programas para se jogar na multidão, e todo sábado lota o espaço debaixo de um viaduto ao som de black music e com muita coreografia. www.viadutodemadureira.com.br

Rio, Rock & Blues

Por fim, se a ideia é curtir o bom e velho rock’n’ roll, a dica é o bar Rio, Rock & Blues, no centro, com bandas ao vivo e ótimos petiscos. Todas as quintas-feiras a casa oferece shows de blues no melhor estilo Tennessee. www.riorockebluesclub.com.br

 

Rumo ao centro

Está nublado? Aproveite para conhecer o Rio além da zona sul.

Real Gabinete Português de Leitura

Tudo bem, ninguém vai passar o feriado no Rio para se esconder em uma biblioteca. Mas se você curte arquitetura, vale a pena dar uma espiada no Real Gabinete Português de Leitura. Fundado há 176 anos, o espaço reúne mais de 350 mil livros de origem portuguesa, distribuídos por estantes que chegam a 23 metros de altura. O vitral no teto ajuda a arrematar o clima histórico. www.realgabinete.com.br

 

Toca do Vinícius

Outra joia do centro da cidade é a Toca do Vinícius, misto de centro cultural, livraria e loja de música dedicada à bossa nova. Em alguns domingos, a casa organiza shows em plena calçada, para quem quiser assistir.  www.tocadovinicius.com.br

 

Samba da Ouvidor 

Pelo menos duas vezes ao mês, aos sábados, bares locais organizam o Samba da Ouvidor (3), uma roda gratuita na tradicional esquina da rua do Ouvidor com a rua do Mercado. www.sambadaouvidor.blogspot.com.br

Qual é a sua praia?

Antes de abrir sua cadeira e fincar o guarda-sol em qualquer lugar, é bom ficar ligado na divisão que existe entre as praias do Rio, de acordo com seus frequentadores. A galerinha mais jovem, por exemplo, costuma se concentrar na altura do Posto 9, em Ipanema (à esq.), enquanto as famílias preferem o final da praia do Leblon, onde é possível alugar piscinas infláveis para os pequenos. Já a tribo dos naturistas e dos surfistas não pode nem ouvir falar da muvuca de Copacabana e tende a se refugiar em praias distantes e mais selvagens, como Grumari e Prainha (abaixo). Os turistas estrangeiros, por sua vez, preferem o conforto dos chuveiros de água doce instalados na areia, bem na altura dos principais hotéis de Ipanema e Leblon. Se você estiver solteiro, deixe o preconceito de lado e siga para a Barra da Tijuca, praia que nunca decepciona quando o assunto é mulher bonita.

 

 

Olha o mate e o queijo, o camarão…

A Prefeitura do Rio bem que tenta apertar o cerco, mas os ambulantes acabam sempre voltando às praias – e com o apoio da população. Em 2009, o prefeito Eduardo Paes teve de revogar uma medida que proibia a venda de coco verde nas praias. No ano seguinte, o mate de galão também foi proibido e acabou sendo liberado depois da gritaria geral. Comidinhas feitas na hora, como o queijo coalho na brasa, continuam vetadas (mas estão por todo canto). Ah, sim: o biscoito Globo, como é industrializado, está fora de perigo.