BALADAS MEMORÁVEIS

Perguntamos aos donos de algumas das boates mais frequentadas do Brasil qual é o melhor club que eles já foram no exterior e como foi a experiência. Conheça as preferidas dos nossos reis da noite

 

Por Piti Vieira

 

Entretenimento e ponto

O Berghain (berghain.de), na parte oriental de Berlim, é um dos destinos mais procurados na noite da cidade. É um ambiente extremamente mítico e espaçoso, que reúne considerável número de pessoas em suas noites – sextas e sábados. Trazem o melhor da música eletrônica mundial, com atrações de peso, e carregam em seu DNA um excelente atendimento, desde a organização na entrada até o pagamento da conta. A atmosfera do lugar me remete às noites dos anos 90, pelo ambiente e também por conta da similaridade de impressões, nas quais as pessoas tinham uma experiência única a cada vez que visitavam determinado local, tomando para si a proposta do club: entretenimento.”


– Cacá Ribeiro, sócio do Lions Nightclub e do Yacht Club, em São Paulo.

 

Diversão pura

A melhor noite que já passei em um club fora do Brasil foi no La Terrazza (laterrrazza.com). Um club pequeno ao ar livre rodeado por muralhas antigas em pleno Montjuic, destino turístico de Barcelona. Um lugar mágico com uma atmosfera cosmopolita, cheio de gente interessante e música muito boa, sem top DJs e camarotes. Uma noite de pura diversão e a mais pura house music.


– Iuri Girardi, sócio-diretor do grupo Privilège, com clubs em Juiz de Fora (MG), Angra dos Reis (RJ) e Búzios (RJ).

 

Amantes da música

A DC10 (dc10-ibiza.ibiza-clubs.net), em Ibiza, é um local voltado exclusivamente para os amantes de música. Não há decoração, áreas vips ou conforto algum. E só um hangar com um sistema de som incrível. As tardes e noites de segunda-feira são as melhores. É quando acontece a festa Circo Loco que conta com DJs incríveis, como Seth Troxler, Dixo e Tale of Us.


– Michel Saad, sócio da Disco, em São Paulo.

 

Fora do convencional

Cavo Paradiso (cavoparadiso.gr), na Grécia. Por conta da sua localização, em Mykonos, do clima, da vista, da paisagem ao redor, do contato com a natureza, do design inspirado nas construções gregas e do fato de ele funcionar durante o dia. Um club que foge do convencional.
– Renato Ratier, dono da D-Edge, em São Paulo.