MAIS QUE PICANHA

Conheça uma seleção de cortes diferentes para incrementar o churrasco neste verão

 

STATUS 44 - APPROACH, ÁGUA NA BOCA

Picanha, fraldinha e maminha formam a santíssima trindade do churrasco brasileiro. E, na temporada de calor, as vendas dessas carnes aumentam consideravelmente. “O verão todo é uma época de alto consumo das carnes para churrasco”, conta André Renato Galindo, gerente de linhas especiais da Marfrig. Mas não são os únicos cortes que merecem ser levados para a brasa. Frigoríficos e açougues que trabalham com carnes especiais estão trazendo às prateleiras novidades para quem quer variar nas confraternizações de fim de semana.

STATUS 44 - APPROACH, ÁGUA NA BOCA

Leonardo Teixeira

Entre as carnes que estão ganhando mais espaço destacam-se o short rib, o shoulder steak e a raquete de paleta. Galindo explica que esses cortes são relativamente novos e vêm de outros tipos de boi, o angus e o hereford, que começaram a ser criados recentemente no País. Por serem bovinos mais macios, é possível aproveitar também a parte dianteira – o que não acontece com a raça de boi mais comum no Brasil, o zebu. Há, também, outros animais que podem virar churrasco. “Estamos trabalhando bastante com cortes de búfalo precoce, como a picanha e o bife ancho ”, explica Leonardo Teixeira, da Talho Carnes, que fica no bairro de Alto de Pinheiros (São Paulo). “Do porco, temos a copa-lombo, uma parte perto do pescoço, que cortamos para fazer na grelha”, diz. E tem ainda o prime rib de suíno, que é uma parte do lombo com o osso, como se fosse uma bisteca, só que mais alta. “O que não dá é para ficar só na fraldinha e picanha. Se fizer sempre a mesma coisa, fica monótono”, defende Teixeira.

Rainha do Brasil

As novidades dificilmente devem ameaçar a preferência nacional pela picanha. Segundo Galindo, da Marfrig, o Brasil é o maior consumidor mundial do corte – e há um bom motivo para isso. A maior parte do rebanho brasileiro é formada por gados da raça zebu. São bois que demoram mais para engordar e, por isso, não são tão macios. A solução para o churrasco brasileiro foi aproveitar cortes da parte traseira do animal – que além da picanha tem o filé- mignon, a fraldinha, a maminha e o coxão mole. Agora você já sabe o porquê de esses cortes serem populares por aqui e pouco famosos no resto do mundo.

STATUS 44 - APPROACH, ÁGUA NA BOCA

STATUS 44 - APPROACH, ÁGUA NA BOCA