CYBERATAQUE

Hackers da Europa Oriental roubaram US$ 1 bilhão de mais de cem bancos em 30 países – sem mexer no dinheiro dos clientes. 

 

Por Piti Vieira

 

A série de ataques aconteceu após eles se aproveitarem de informações obtidas em computadores das próprias instituições financeiras contaminados com um malware (software malicioso). A informação é dos pesquisadores do Kaspersky Lab, empresa russa produtora de softwares de segurança para a internet, que apresentou detalhes sobre a gangue criminosa chamada Carbanak.

Diferente do que ocorre na maioria dos ataques contra bancos, onde a fraude consiste em encontrar meios de roubar valores das contas de clientes, a Carbanak ataca diretamente os bancos depois de ganharem acesso a algum ponto de apoio da rede, geralmente um e-mail Spear Phishing, que contém um backdoor (recurso utilizado por diversos malwares para garantir acesso remoto ao sistema) chamado Carbanak.

Segundo a Kaspersky Lab, eles manipularam o acesso às respectivas redes bancárias, a fim de roubar o dinheiro de várias maneiras. Em alguns casos, terminais de caixa eletrônico foram instruídos a distribuir dinheiro sem que um usuário precisasse interagir localmente com o terminal. Em outros, aumentaram os saldos das contas correntes existentes e embolsaram a diferença sem o conhecimento do usuário, cujo saldo original ainda permanecia intacto. A Kaspersky estima as perdas em torno US$ 10 milhões por banco. Confira como funcionavam as fraudes:

STATUS 45 - APPROACH, CAIU NA REDE