CENTRO DAS ATENÇÕES

Querendo dar uma esquentada no ambiente da sala? É só espalhar esses livrões de capa dura de talentosos fotógrafos e artistas pela mesa de centro. As visitas que apreciam a beleza das formas femininas vão agradecer

 

Por Ronaldo Bressane

 

SOPA DE LETRINHAS
Confira os lançamentos mais interessantes que chegam às livrarias neste mês

 

SACANAGEM EM VERSOS Antologia da Poesia Erótica Brasileira (R$ 82; 504 págs.; Ateliê Editorial)

STATUS 51 - APPROACH, ENTRELINHAS

Eliane Robert Moraes, maior especialista brasileira em literatura perversa (tradutora de Marquês de Sade, entre outros), compilou um vasto material que demons-tra nosso grande talento em falar de pouca vergonha. Do pai de todos Gregório de Matos ao podólatra Glauco Mattoso, o livro traz centenas de páginas de safadezas escritas em tons menores ou maiores.

 

SOFRÊNCIA NA QUERÊNCIA Para onde vai o amor? (R$ 28; 176 págs.; Bertrand Brasil)

STATUS 51 - APPROACH, ENTRELINHAS

Espécie de Xico Sá gaúcho, o poeta Carpinejar reúne em Para onde vai o amor? as crônicas que escreveu curando um belo de um pé na bunda. Mais que mera dor de corno, porém, sobressaem os conselhos sentimentais, em que o tom de autoajuda é temperado por achados verbais, trocadilhos e bom humor.

 

HOMENS DURÕES, MULHERES IDEM Galveston (R$ 30; 240 págs.; Intrínseca)

STATUS 51 - APPROACH, ENTRELINHAS
Em Galveston, Nic Pizzolatto, que escreveu e produziu a minissérie True Detective, da HBO, aproxima o criminal do western, usando um tema caro ao gênero: a proteção a mulheres “desonradas” como veículo de salvação. Na história, um capanga durão escapa de uma chacina encomendada pelo próprio patrão e resolve salvar a vida de uma prostituta de 18 anos.

 

QUADRINHO ÁRIDO Vidas Secas (R$ 50; 104 págs; Galera Record)

STATUS 51 - APPROACH, ENTRELINHAS
Gracialiano Ramos não imaginaria que o quadrinista gaúcho Arnaldo Branco e o roteirista carioca Eloar Guazzelli conseguiriam tornar ainda mais exata a trama de Vidas Secas, seu famoso romance. Não é daquelas adaptações de clássicos toscas: trata-se de uma obra de arte autônoma, que parte da secura do original para contar com lirismo a triste história do retirante Fabiano e sua família.

 

LITERATURA É DOENÇA Micróbios (R$ 35; 192 págs.; Cosac Naify)

STATUS 51 - APPROACH, ENTRELINHAS
Literatura está longe de ser cura para algum mal. O argentino Diego Vecchio, uma das estrelas da última Flip, pegou este enunciado ao pé da letra nos contos deste divertido livro de doenças raras e personagens esquisitos – como Vitricius, vampiro portenho que só chupa gente com sobrepeso.